segunda-feira, 4 de junho de 2007

Poucas estações

Poucas estações

É mágico esse tal de tempo.
Não depende de nada e nem de ninguém.
Muda, ao menos, quatro vezes num só ano.

É louco, crucial e generoso.
Num momento vê-se a alegria das crianças brincando soltas,
No outro, casais apaixonados a procura de abrigo e calor.
De repente, casais e crianças se unem para ver as flores se abrirem.

Que espetáculo louco a natureza proporciona a esses espectadores bobos.
Que espetáculo bobo esses espectadores loucos proporcionam a natureza.

Um comentário:

Ivan disse...

Li duas coisas distintas aqui. As estações são quatro, pelo menos por enquanto. Enquanto o mundo ainda for como nós o conhecemos. E o tempo é realmente mágico. É dono de si. Além de crianças e casais apaixonados vejo a nós mesmos, perplexos, tendo que tomar decisões. Decisões que, talvez, demandassem mais tempo para amadurecer. Mas não temos todo esse tempo. E as estações continuam se alternando, nos lembrando que o tempo passa, independentemente da nossa vontade...